No pico da segunda onda de Covid-19 no Brasil, em março, o setor de saúde bateu recorde de contratações e gerou 39 mil novos postos de trabalho, segundo levantamento feito pela Confederação Nacional de Saúde (CNSaúde) a partir dos dados do Caged, informa a coluna “Radar Econômico”, da Veja.

Com o resultado, o mês de março registrou o maior saldo mensal de contratações desde o começo da pandemia, batendo os meses de janeiro e fevereiro de 2021, que já registravam recordes no nível de contratação de profissionais da área.

Desde maio do ano passado que o saldo de profissionais contratados no setor é positivo. No período, foram contratados 170,7 mil profissionais, atingindo a marca de 2,55 milhões de empregos formais.

O presidente da CNSaúde, Breno Monteiro, diz que, apesar do resultado positivo, medidas nas áreas tributária, trabalhista e regulatória em discussão no Congresso Nacional podem colocar em risco a maioria dos hospitais, que são pequenos e médios e não têm condições de suportar novos aumentos de custos.