As diretorias do Sindicato dos Hospitais e Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Paraná – Sindipar; da Federação das Santas Casas de Misericórdia e Hospitais Beneficentes do Estado do Paraná (Femipa); da Associação dos Hospitais do Paraná (Ahopar); da Associação Brasileira dos Planos de Saúde – Abramge – Regional Paraná; da Associação Comercial do Paraná – ACP; da Unimed Curitiba; da Bradesco Saúde; da Fundação Copel; da Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil – Cassi; do Movimento Pró-Paraná apelam à população para distanciamento voluntário e reiteram seu apoio às medidas de restrição de circulação para evitar o iminente colapso do setor de saúde em Curitiba. 

Na última sexta-feira, dia 19 de junho, quando os representantes das entidades se reuniram com a secretária municipal de Saúde de Curitiba, Márcia Huçulak, e sua equipe para discutir como os respectivos setores podem colaborar com o trabalho da secretaria, foi unânime a manifestação de apoio às medidas restritivas com o objetivo de conter o avanço da Covid-19 na cidade e Região Metropolitana. 

Na oportunidade, os representantes dos hospitais reiteraram seu apoio ao atendimento municipal na decisão da abertura do Hospital Vitória, reaberto em abril para atendimento exclusivo da Covid-19, e não de um hospital de campanha.

Os líderes do setor de saúde reforçaram que o risco de saturação do sistema de saúde nos próximos dias é real, caso a escalada dos números de infectados e suspeitos siga no mesmo ritmo, e alertaram, ainda, para a falta de medicamentos necessários à sedação de pacientes que já começa a ser percebida nos hospitais, que estão buscando solução na indústria farmacêutica.

Curitiba, 22 de junho de 2020.